Pular para o conteúdo

Defesa Civil Nacional repassa mais de R$ 11,2 milhões a 11 cidades atingidas por desastres.

26/12/2022

São João Batista enfrenta uma das piores enchentes de sua história | Jornal Razão

São João Batista – SC

Correnteza arrasta bois em São João Batista; veja vídeo | NSC Total

O Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR), por meio da Defesa Civil Nacional, autorizou, nesta segunda-feira (26), o repasse de mais de R$ 11,2 milhões a 11 cidades brasileiras atingidas por desastres naturais.

O maior repasse – de mais de R$ 3,7 milhões – é para a cidade de São João Batista, em Santa Catarina, castigada pelas fortes chuvas. Os recursos serão empregados para o transporte dos resíduos gerados pelos deslizamentos. Mais de 36 mil pessoas serão atendidas com a ação.

Já o município de Luiz Alves, no mesmo estado, vai receber mais de R$ 259 mil para ações de remoção de detritos decorrentes de escorregamento de barreira e obras de execução de enrocamento (para proteção de canais), atendendo mais de 3,5 mil pessoas afetadas por chuvas intensas.

Nossos militares seguem na missão de resgate em Petrópolis na tarde deata segunda-feira (21.03). 

Na Rua Washington Luis, no Centro, houve deslizamento de terra e desabamento de imóveis.

Chuvas no Rio de Janeiro

Em Sergipe, a cidade de Tobias Barreto, afetada por chuvas intensas, vai receber mais de R$ 1,4 milhão. Os recursos serão destinados à compra de cestas básicas, colchões e kits de higiene e dormitório. Mais de 58 mil pessoas serão atendidas.

Na Bahia, os municípios de Nova ItaranaJiquiriçáMutuípe e Brejões vão receber, respectivamente, R$ 914 mil, R$ 854 mil, R$ 687 mil e R$ 565 mil para a compra dos mesmos itens. As quatro cidades também foram afetadas por chuvas intensas. No total, mais de 16 mil pessoas serão atendidas.

No Amazonas, o município de Careiro da Várzea, atingido por estiagem, vai contar com mais de R$ 1,2 milhão para a compra de cestas básicas. A ação vai atender mais de mais de 21 mil pessoas.

Ainda no Amazonas, Careiro, também afetada por estiagem, vai ter mais de R$ 1 milhão à disposição para a compra de cestas básicas, água mineral, gás e combustível, atendendo mais de 16 mil pessoas.

Para Tefé, também no Amazonas, serão destinados mais de R$ 326 mil para a compra de cestas básicas, colchões e kits de higiene e dormitório. Mais de duas mil pessoas serão atendidas. A cidade foi afetada por chuvas intensas.

Por fim, em Minas Gerais, o município de Antônio Carlos, atingido por queda de granizo, vai contar com mais de R$ 124 mil para o restabelecimento de telhados de prédios públicos e de residências. As obras vão atender quase 300 pessoas.

Fonte: Brasil 61

Na Bahia, chuvarada vai dar trégua

Assim como ocorreu em 2021, o mês de dezembro tem sido de bastante chuva nas regiões de Barreiras, Guanambi, Vitória da Conquista e também no Sul do Estado, localidades com regime úmido na primavera e no verão.

Alagamento Guanambi

Alagamento em Guanambi

Os acumulados do mês já estão próximos dos registrados no ano passado, quando muitas cidades do estado foram atingidas por alagamentos, inundações, enchentes e interdição de rodovias, deixando muitas pessoas desabrigadas ou desalojadas e até mortes.

A boa notícia para os moradores das localidades mais atingidas pelos contratempos das chuvas constantes vem das previsões meteorológicas, que indicam que a possibilidade de tempo firme em todo o Estado até o início de 2023.

Os modelos apontam que as chuvas dos próximos dez dias devem se concentrar nas regiões Norte, Centro-Oeste e parte do Sudeste do país, incluindo a Zona da Mata, o Sul e o Triângulo Mineiro.

O acumulado de chuva do mês em Barreiras até este domingo (25) é de 203 mm. Em 2021, choveu 270 mm nos 31 dias do mês,. Os dados são da estação meteorológica do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet).

Em Vitória da Conquista, também de acordo com os dados do Inmet, o acumulado até o momento é de 320 mm. O volume é pouco mais de 15% menor do que o registrado durante todo o último mês de dezembro, quando choveu 384 mm. O município está em estado de emergência por conta dos transtornos da chuva.

Já em Guanambi, o acumulado de chuva medido pelo pluviômetro da Agência Sertão é de 386 mm. Os dados do Inmet para o município não são precisos, pois a estação passa por panes constantes. Em 2022, choveu 444 mm em dezembro.

Da Agência Sertão.

No comments yet

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: