Pular para o conteúdo

Ministério Público pede investigação contra eleitos de Brumado

08/01/2013
Eduardo Vasconcelos

Eduardo Vasconcelos

Abusos de poder econômico, político e dos meios de comunicação, além de captação ilícita de votos ocorridos durante a campanha para as eleições municipais do ano passado, no município de Brumado, que fica a 669 km de Salvador, motivaram o Ministério Público Eleitoral a ajuizar ação de investigação judicial eleitoral contra Márcio Moreira da Silva, vereador eleito no município pela coligação ‘Nada Resiste à Força do Trabalho’; Aguiberto Lima Dias, prefeito eleito no município pela coligação ‘O Trabalho Continua’; Isabel Cristina Santana Gondim, vice-prefeita eleita pela mesma coligação de Aguiberto Dias; e Eduardo Lima Vasconcelos, ex-prefeito do município de Brumado. A ação foi iniciativa do promotor eleitoral Leandro Marques Meira.

O Ministério Público Eleitoral descobriu que “a eleição de Márcio Moreira para o cargo de vereador e a de Aguiberto Dias e Isabel Gondim para os cargos de prefeito e vice-prefeita deram-se mediante ilícitos eleitorais de acentuada gravidade, tendo sido fraudada a vontade popular”, destacou o promotor Leandro Meira na ação. Ele complementa que, no dia 5 de outubro de 2012, foi divulgado o resultado de uma pesquisa que apontava a liderança do candidato situacionista Aguiberto Dias com 55,28% dos votos, enquanto que a candidata da oposição, Marisete Lisboa Fernandes Pereira, possuiria a preferência de 30,05%. “No entanto, o resultado divulgado era falso pois os candidatos a prefeito Aguiberto Dias e Marisete Pereira estavam empatados tecnicamente, já que o primeiro possuía cerca de 45% das intenções de voto, enquanto a segunda estava com aproximadamente 39%”, explicou.

Na ação, o MP requer a cassação do registro ou diploma e inelegibilidade por oito anos de Márcio Moreira, Aguiberto Dias e Isabel Gondim, além da aplicação da sanção de inelegibilidade por oito anos do ex-prefeito do município Eduardo Vasconcelos. Segundo o promotor Leandro Meira, ficou constatado também que houve entrega excessiva de cestas básicas às vésperas da eleição, “configurando-se nítido abuso de poder político, com a disponibilização da máquina pública e seus programas, chefiados pelo representado Eduardo Vasconcelos, em prol da candidatura de Aguiberto Dias”.

Além disso, o MP apurou que uma máquina retroescavadeira, que estava a serviço da Prefeitura de Brumado, realizou serviços de abertura e limpeza de aguadas em diversas localidades da região do distrito de Cristalândia, na zona rural do município, evidenciando-se o beneficiamento da candidatura de Márcio Moreira, candidato a vereador. As aguadas destinam-se ao represamento da água de chuva que será aproveitada em irrigação de plantações e consumo animal. Outras práticas irregulares apuradas pelo MP foram o transporte irregular de eleitores e a boca de urna. De acordo com o promotor, Márcio Moreira fez uso da sua força econômica para praticar ilícitos que ajudaram na sua eleição. “Por interpostas pessoas, ele transportou diversos eleitores na zona rural e ainda coordenou as ações de boca de urna do seu grupo político”, afirmou.

No comments yet

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: