Pular para o conteúdo

Tchutchuca corta de fralda geriátrica a remédio contra hipertensão, asma e diabetes da Farmácia Popular

14/09/2022

Existe cidadão mais vulnerável que aquele que ganha uma aposentadoria mínima (quando ganha) e está sofrendo num leito domiciliar, dependente da boa vontade de terceiros e dos remédios da Farmácia Popular. Pois bem: o Inominável da República acabou de cortar verbas de mais de 1,2 bilhão de reais da Farmácia Popular para entregar a deputados apaniguados, que certamente ficarão com um bom bocado do dinheiro para suas campanhas eleitorais.

O dinheiro para ajudar a população a ter acesso a medicamentos gratuitos caiu mais de R$ 1 bilhão no projeto de 2023 enviado ao Congresso.

O corte de 60% de recursos no Orçamento de 2023 para a gratuidade de medicamentos da Farmácia Popular diminuirá o acesso da população a 13 tipos diferentes de princípios ativos de remédios usados no tratamento da diabetes, hipertensão e asma. O dinheiro para medicamentos gratuitos caiu de R$ 2,04 bilhões no orçamento de 2022 para R$ 804 milhões no projeto de 2023 enviado ao Congresso no final de agosto, o que representou R$ 1,2 bilhão a menos.

Seis dos remédios que estarão menos disponíveis para a população são para o controle da hipertensão: Atenolol, Captopril, Cloridrato de Propranolol, Losartana Potássica, Hidroclorotiazida e Maleato de Enalapril. Os princípios ativos são moléculas de uma substância que possuem efeito terapêutico. A informação foi divulgada pela ProGenéricos, associação que reúne os principais laboratórios que atuam na produção e comercialização no País.

O dinheiro para medicamentos gratuitos caiu de R$ 2,04 bilhões no orçamento de 2022 para R$ 804 milhões no projeto de 2023 enviado ao Congresso no final de agosto, o que representou R$ 1,2 bilhão a menos. As informações foram publicadas nesta terça-feira (13) pelo jornal O Estado de S.Paulo.

A presidente da ProGenéricos, Telma Salles, afirmou que “as pessoas vão deixar de ter o produto e utilizar o pouco recurso que têm para passar a comprar o medicamento”. “Há um desvio de finalidade do recurso de uma população que já é economicamente frágil”, disse.

Imagem

No comments yet

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: